1 de abril de 2011

Neruda sem pAR

Andando en un camino / encontré al aire,
lo saludé y le dije / con respeto:
“Me alegro / de que por una vez
dejes tu transparencia, / así hablaremos”.

Él incansable, / bailó, movió las hojas,
sacudió con su risa / el polvo de mis suelas,
y levantando toda / su azul arboladura,
su esqueleto de vidrio, / sus párpados de brisa,
inmóvil como un mástil / se mantuvo escuchándome.

Yo le besé su capa / de rey del cielo,
me envolví en su bandera / de seda celestial
y le dije:
monarca o camarada, / hilo, corola o ave,
no sé quien eres, pero / una cosa te pido,
no te vendas.

El agua se vendió / y de las cañerías
en el desierto / he visto
terminarse las gotas / y el mundo pobre, el pueblo
caminar con su sed / tambaleando en la arena.
Vi la luz de la noche / racionada,
la gran luz en la casa / de los ricos.
Todo es aurora en los / nuevos jardines suspendidos,
todo es oscuridad / en la terrible / sombra del callejón.
(…)
No, aire,
no te vendas,
que no te canalicen,
que no te entuben,
que no te encajen
ni te compriman,
que no te hagan tabletas,
que no te metan en una botella,
cuidado!

llámame
cuando me necesites,
yo soy el poeta hijo / de pobres, padre, tío,
primo, hermano carnal / y concuñado
de los pobres, de todos, / de mi patria y de las otras,
(…)
y por eso / yo quiero que respiren,
tú eres lo único que tienen,

por eso eres / transparente,
para que vean / lo que vendrá mañana,
por eso existes, / aire,
déjate respirar, / no te encadenes,
no te fíes de nadie / que venga en automóvil
a examinarte,
déjalos,
ríete de ellos,
vuélales el sombrero,
no aceptes / sus proposiciones,

vamos juntos
bailando por el mundo,
(…)
nos queda mucho
que bailar y cantar,

vamos
a lo largo del mar,
a lo alto de los montes,
vamos
donde esté floreciendo / la nueva primavera
y en un golpe de viento / y canto
repartamos las flores, / el aroma, los frutos,
el aire
de mañana.

(Pablo Neruda, Oda al Aire in 'Odas Elementales', 1954, Ed. Losada)
.

12 comentários:

  1. A força da esperança. A certeza do futuro!A sabedoria do poeta!
    Hoje, exactamente, fez-me bem ler o poema de Neruda.Obrigada:))

    ResponderEliminar
  2. Lindíssimo...

    "Breathtaking"!! :)

    ResponderEliminar
  3. *...♥...*...♥...*...♥...*...♥...*...♥...*...♥...

    Deus sempre se alegra quando nós ousamos sonhar. Na verdade, somos bem parecidos com Deus quando sonhamos. O Mestre se entusiasma com novidades. Ele se encanta em derrubar o antigo. Ele escreveu o livro tornando o impossível possível.
    Exemplos? Cheque o Livro.
    Pastores de oitenta anos não costumam enfrentar Faraós... mas não conte isso a Moisés.
    Pastores adolescentes geralmente não lutam com gigantes... mas não conte isso a Davi.
    Pastores que trabalham à noite não costumam ouvir anjos cantarem nem ver Deus em um estábulo... mas não conte isso ao grupo de Belém.
    E certamente não conte isso a Deus. Ele fez uma eternidade ao possibilitar o vôo de seres presos à terra. E ele fica bravo quando as asas das pessoas são aparadas.
    **************
    Belo post.

    Excelente fim fim de semana, bjos no ♥.

    *...♥...*...♥...*...♥...*...♥...*...♥...*...♥...

    ResponderEliminar
  4. Ah, que bom ler palavras assim neste início de fim-de-semana! Acho que, em maior ou menor grau, todos andamos a precisar de palavras de alento. Se vierem pela mão de Neruda (e pela tua :), tanto melhor.
    Beijinho grande e um óptimo fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  5. Repartamos as flores...
    Bom fim-de-semana! :)

    ResponderEliminar
  6. um poema na primavera,dizem que a poesia é coisa de tristeza mas o neruda nega-o veementemente.

    ResponderEliminar
  7. Boa noite, R.

    Foi um sortilégio termos sido contemporâneos.
    Gosto imenso da sua poesia.
    Acho uma excelente escolha, R.
    Bem hajas.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Um grande e grato abraço a tod@s. As palavras de Neruda são, efectivamente, ímpares. Há várias 'Odes', mas gosto particularmente desta. Fico animada por vos ter animado também :)

    ResponderEliminar
  9. •*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣ✿ڿڰۣ¸.•*♥ڿڿ•*♥ڰۣ¸.•*

    Sobre o amor

    Fácil de acontecer, difícil é descrever.
    Amar é sentir sem querer, é querer sem perceber.
    Fugaz ou duradouro, não importa o tempo, o que vale é o sentimento.
    Que o eterno seja pra sempre, mesmo que seja breve.
    Sobre o amor é tudo que não sei, daquilo que já sei.

    Fim de semana de luz e paz,
    abraço.

    ڿ•*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣ✿ڿڰۣ¸.•*♥ڿڿ•*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣڿڰۣ

    Brasileiros enlutados ♥♥♥♥♥♥♥♥♥...


    ڿ•*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣ✿ڿڰۣ¸.•*♥ڿڿ•*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣ

    ResponderEliminar
  10. Um poeta de olhos abrangentes, onde o universo ecoa com um encanto inigualável...

    GRATA:)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Andei por aqui a ler.

    Penso que nunca tinha visitado este blog.

    Achei-o interessante e variado.

    Obrigado pela sua visita à minha astronomia.

    Conhece meu de poesia?

    Um forte abraço

    ResponderEliminar