2 de dezembro de 2012

O homem da mulher


Ultimamente, um anúncio televisivo apresenta vários chefs de cozinha acompanhados de algum dos seus familiares (filhos, netos, etc.). O grau de parentesco dos intervenientes é indicado numa legenda, e num dos vários anúncios pode ler-se: “Fulana de tal, mulher do chef  Beltrano…”. Esta expressão formal, vulgo “mulher de”, não tem equivalente no masculino, habitualmente correspondente às expressões “esposo” ou “marido”. De cada vez que deparo com isto, interrogo-me sobre a aparente arqueologia “machizóide” desta expressão. Com efeito, não é raro encontrar referência à “mulher do sr. director” ou ”à mulher do sr. presidente”, mas em contexto de linguagem formal não se encontram expressões como “o homem da Sra. professora” ou o “homem da sra. dra.” A excepção a esta regra encontra-se na linguagem popular. Cá pelo Norte, região pródiga em mulheres com “pêlo na benta” (metaforicamente falando, sublinhe-se), não é raro ouvi-las dizer: “o meu homem isto” ou “o homem daquela, aquilo”. Gosto deste equivalente possessivo para o lado feminino. Com efeito, se uma “mulher” pode pertencer a um homem, então um “homem” também pode pertencer a uma mulher. Sou por isso da opinião que se inclua esta expressão na linguagem formal e se leia ou se ouça, com idêntica solenidade, "o homem da sra. ministra" ou o "homem da cidadã...". Faça-se, assim, justiça linguística e possessiva. 

Imagem daqui

24 comentários:

  1. Concordo plenamente com as tuas palavras. É lamentável que um machismo seja ainda uma realidade e mais ainda que seja transmitido, ainda que de forma quase subliminar, nos meios de comunicação social.
    Infelizmente, basta conviver um pouco com adolescentes para perceber que, apesar de estarmos no século XXI e de todas as campanhas que se tem levado a cabo, o machismo, o racismo e outras manifestações de intolerância são, como usa dizer-se "o pão nosso de cada dia".

    Bom domingo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela reflexão, deep. Não podia estar mais de acordo.
      Um forte abraço.

      Eliminar
  2. é verdade, o povo é mais certeiro que as convenções e os estereótipos. abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida :) Abraço para ti também!

      Eliminar
  3. Não utilizo o termo marido em caso algum!
    No dia a dia digo o nome do homem com quem casei e continuo casada há muitos anos ou digo o meu homem, mesmo não sendo do norte! :-))
    Aqui na blogosfera digo o meu parceiro, o meu "fiel jardineiro" e o meu "compagnon de route"!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Belíssimo epítetos, cara Rosa :)
      Obrigada pela partilha.
      Um abraço de volta!

      Eliminar
  4. A semântica espelha sempre o modo da sociedade pensar.E a nossa continua a ser maioritariamente machista.
    Vivam as mulheres do Norte:))))
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vivam, Justine! :) Absolutamente de acordo! Um abraço silencioso mas lembrado.

      Eliminar
  5. Hoje não comento

    O Joaquim Benite
    faleceu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade. Um dos desaparecimentos marcantes do ano que passa. Façamos com que a sua memória persista. Um abraço e votos de um bom ano novo.

      Eliminar
  6. Nem propriedade

    nem proprietário

    Pessoas - e já é tanto

    ResponderEliminar
  7. Numa aldeia onde passo as férias desde criança, o senhor Américo (que morreu e que lembro com saudade e apreço), homem analfabeto mas de uma sabedoria imensa, costumava referir-se sempre à sua mulher como "A minha senhora". E ela "O meu senhor". Tão bonito!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Belíssimo, cara M. Um exemplo paradigmático de candura e paridade na possessão :)
      Obrigada pela presença sempre enriquecedora.

      Eliminar
  8. gramática da existência (social), coisa complicada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida. Reflexo também da gramática relacional.

      Eliminar
  9. Mulher é mulher, sempre...

    os adjectivos(possessivos) passam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não podia estar mais de acordo. Mulher é (desde) sempre, mulher.
      Um abraço.

      Eliminar
  10. BAXTALE KReCHUNO
    thaj
    BAXTALO NEVO BERSH 2013
    Feliz Natal e Feliz Ano Novo de 2013
    COZINHA DOS VURDÓNS E HOMEOPATAS DOS PÉS DESCALÇOS
    PROJETOS AMSK/Brasil

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada. Votos de um bom ano para todos. E bem hajam pelo exemplo que decerto continuarão a dar.

      Eliminar
  11. Mulher do seu nariz, vim desejar-lhe um Feliz Natal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, caríssimo AC. Votos igualmente lembrados de um novo ano à medida das suas melhores expectativas. Um forte abraço.

      Eliminar
  12. O pertencimento ... sempre desejei ser ela e não a mulher dele. Sempre me possicionei assim e hoje é assim. Acho que isso incomoda muita gente, ser de um ou de outro dá a falsa segurança das coisas, seja na gramática ou na cama.

    R, viemos para desejar que em 2013 o sopro da vida chegue trazendo muita paz e muita luz, realizações e a vontade de continuar construindo um mundo melhor. E se possível, faça a diferença. bjs muitos.

    Cozinha dos vurdóns

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queridas amigas, agradeço reconhecidamente os vossos votos e retribuo-os integralmente, na certeza de que nos une o desejo de uma vida construtiva. Um forte e sentido abraço.
      PS: Não podia estar mais de acordo com a vontade e direito de afirmação feminina :)

      Eliminar